InícioInício  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 Os Acontecimentos da Mitologia Nórdica

Ir em baixo 
AutorMensagem
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Os Acontecimentos da Mitologia Nórdica    Qua Abr 11, 2012 5:04 am

Tal como outras mitologias, a Nórdica é marcada por alguns acontecimentos imporantes, são eles :

- Guerra dos Deuses
Na mitologia nórdica, a Guerra dos Deuses foi uma guerra que ocorreu entre os Aesir e os Vanir. A causa desta guerra foi o aprisionamento Freya. O clã Vanir não aceitou tal insulto e iniciou a guerra, mas o motivo do aprisionamento de Freya nunca foi descoberto, portanto, não se sabe qual dos dois clãs começou a guerra, se pelos Vanir ou pelos Æsir. O conflito resultou na unificação das tribos.
A Guerra dos Deuses é retratada em diversos livros e filmes, assim como seus elementos principais, Midgard, Asgard, Odin, Thor e monstruosas criaturas geradas nesse conflito.

- Fimbulwinter
Na Mitologia Nórdica, Fimbulvetr (ou fimbulvinter) é o prelúdio imediato para os eventos do Ragnarök. Fimbulwinter são três sucessivos invernos onde a neve vêm de todas as direções, sem nenhum intervalo de verão. Durante esse tempo, haverá inúmeras guerras e irmãos matarão irmãos.
O prefixo 'fimbul' significa "longo/grande", o sufixo 'vinter' "inverno", então a correta interpretação da palavra seria "o longo inverno".
Há várias discussões e debates que especulam se esse particular pedaço da mitologia tem conexão com a mudança climática que ocorreu nos países Nórdicos ao final da Era de Bronze Nórdica, que se sucedeu mais ou menos em 650 AC. Antes da mudança climática, os países nórdicos eram consideravelmente mais quentes.
Na Dinamarca, Noruega, Suécia e outros países nórdicos, o termo fimbulvinter também é usado para se referir a um frio incomum e/ou um inverno rigoroso.

- Ragnarok
Na mitologia nórdica, Ragnarök (nórdico antigo "destino final dos deuses") é uma série de eventos futuros, incluindo uma grande batalha anunciada que resultaria na morte de um número de figuras importantes (incluindo os deuses Odin, Thor, Týr, Freyr, Heimdallr, Loki), a ocorrência de vários desastres naturais e a submersão subsequente do mundo em água. Depois, o mundo ressurgiria de novo e fértil, os sobreviventes e os deuses renascidos se reuniriam e o mundo seria repovoado por dois sobreviventes humanos. Ragnarök é um evento importante no cânone nórdico e tem sido objeto de estudos acadêmicos e teóricos.
O Ragnarök tem sido tema de muitas controvérsias quanto à origem da sua narrativa, que só foi escrita mais tarde, após a cristianização do mundo nórdico. Muitos especialistas argumentam que os seus textos de carácter profético sobre o fim do mundo são inspirados em temas bíblicos como o Juízo Final, o Apocalipse, o fim do mundo de acordo com as teorias milenaristas, e o Eclesiastes.É feita também a comparação com outras narrativas mitológicas indo-europeias, o que pode indicar uma origem comum de mitos ou de influências pagãs externas. Para muitos estudiosos, essas influências emprestadas de outras culturas e reescritas por clérigos cristãos são erroneamente atribuídas à mitologia viking, e têm distorcido o conhecimento que temos da fé escandinava. O texto também pode ter-se inspirado na observação das catástrofes naturais na Islândia.
O evento é atestado primeiramente no Edda poética, compilado no século XIII, a partir de fontes tradicionais mais antigas e no Edda em prosa, escrito no século XIII por Snorri Sturluson. No Edda em prosa e em um único poema no Edda poética, o evento é conhecido como Ragnarökr ou Ragnarökkr (nórdico antigo "Crepúsculo dos Deuses"), um termo popularizado no século XIX pelo compositor Richard Wagner por ser o título da última ópera da tetralogia Der Ring des Nibelungen, Götterdämmerung.

A palavra do nórdico antigo "ragnarök" é um composto de duas palavras. A primeira palavra do composto, ragna, é o plural genitivo de regin ("deuses" ou "poderes dominantes"), derivado do termo proto-germânico reconstruído ragenō. A segunda palavra, rök, tem vários significados, tais como "desenvolvimento, origem, causa, relação, destino, final." A interpretação tradicional é que, antes da fusão de /ǫ/ e /ø/ (ca. 1200) a palavra era rök, derivada da proto-germânica rakō. A palavra ragnarök como um todo é, então, geralmente interpretada como o "destino final dos deuses." Em 2007, Haraldur Bernharðsson propôs que a forma original da segunda palavra no composto é røk, levando a uma reconstrução proto-germânica da rekwa e abrindo outras possibilidades de semânticas.
Na estrofe 39 do poema do Edda poética, Lokasenna, e no Edda em prosa, a forma ragnarök(k)r aparece, rök(k)r significa "crepúsculo." Tem sido frequentemente sugerido que isso indica um mal-entendido ou uma reinterpretação conhecida da forma original de ragnarök. Haraldur Bernharðsson argumenta em vez disso que as palavras ragnarök e ragnarökkr estão intimamente relacionadas, etimológica e semanticamente, e sugere um significado de "renovação dos poderes divinos." O uso desta forma foi popularizado na cultura popular moderna pelo compositor Richard Wagner no século XIX por meio do título da última de suas óperas Der Ring des Nibelungen, Götterdämmerung.
Outros termos utilizados para se referir aos acontecimentos em torno de Ragnarök no Edda poética incluem aldar rök ("fim do mundo") da estrofe 39 de Vafþrúðnismál, tíva rök da estrofe 38 e 42 de Vafþrúðnismál, þá er regin deyja ("quando os deuses morrem") da estrofe 47 de Vafþrúðnismál, unz um rjúfask regin ("quando os deuses serão destruídos") da estrofe 52 de Vafþrúðnismál, da estrofe 41 de Lokasenna e da estrofe 19 de Sigrdrífumál, aldar rof ("a destruição do mundo") da estrofe 41 de Helgakviða Hundingsbana II, regin þrjóta ("fim dos deuses") da estrofe 42 de Hyndluljóð, e no Edda em prosa, þá er Muspellz-synir herja ("quando os filhos de Muspelheim se movem para a batalha") pode ser encontrado nos capítulos 18 e 36 de Gylfaginning.

O Ragnarok é referido em vários textos nórdicos antigos
poema Völuspá, Vafþrúðnismál, e Helgakviða Hundingsbana II
na Edda em forma de prosa, Gylfaginning (capítulos 26, 34, 51, 52, 53)

Na Arqueologia foram também encontrados objetos, relatando o Ragnarok
Cruz de Thorwald
Cruz de Gosforth
Pedra Rúnica de Ledberg
Pedra Rúnica de Skarpåker

A questão da origem dos textos referentes ao Ragnarok e das influências externas e contribuições é discutida. Diversas pesquisas e comparações foram feitas. Esse texto e todos os textos nórdicos são o resultado de uma herança comum muito distante, não está claro se o Ragnarok é de origem pagã, a partir da observação das catástrofes naturais, a partir da mitologia greco-romana ou da religião cristã. Poderia ser uma mistura de todos estes textos, o que poderia levar o início da mitologia grega e o final do Apocalipse cristão.


fonte: Wiki
Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Os Acontecimentos da Mitologia Nórdica
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Recanto dos Curiosos :: Noticias e Curiosidades :: Curiosidades Pelo Mundo :: Religião-
Ir para: