InícioInício  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 Língua eletrónica permite análises aos alimentos.

Ir em baixo 
AutorMensagem
VAMPIRO
Impaciente
Impaciente
avatar

Masculino Mensagens : 314
Data de inscrição : 29/03/2012
Localização : PORTUGAL

MensagemAssunto: Língua eletrónica permite análises aos alimentos.   Qui Abr 05, 2012 9:33 am

Na Universidade de Aveiro (UA), Alisa Rudnitskaya, investigadora do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM) da UA inventou uma língua eletrónica para analisar a qualidade dos alimentos.

Parecida com uma língua humana, a nova tecnologia tem vários sensores, feitos por membranas de diferentes composições (vidro, cristais, policristais ou polímeros orgânicos), que substituem as papilas gustativas.


Quando o sensor desta ‘língua’ é mergulhado no alimento previamente liquefeito, responde à presença ou não das substâncias que se querem detetar, enviando um sinal eletrónico para um voltímetro digital. Desta estrutura é encaminhada uma mensagem digital para um normal computador que descodifica, mede, trata e guarda os dados recebidos dos sensores.

O mecanismo de funcionamento da invenção permite que, em cinco ou dez minutos, compostos orgânicos e inorgânicos, como os metais de transição, possam, a baixo custo, ser detetados nos alimentos sem recurso a laboratórios e técnicos especializados. A análise serve para detetar rapidamente se estes compostos ultrapassam ou não os níveis tolerados pelo organismo humano.

A importância de detectar nos alimentos compostos orgânicos e inorgânicos “depende do composto”, afirma Alisa Rudnitskaya ao Ciência Hoje. Segundo a cientista, “a informação sobre o teor dos compostos como os ácidos orgânicos, polifenóis, catiões e aniões inorgânicos (por exemplo o sódio, potássio, cálcio, cloreto) “pode ser necessário para controlo de qualidade e caracterização de produto”. A concentração dos compostos como “metais de traço deve estar abaixo dos limites estabelecidos e por isso deve ser determinado”, exemplifica.



Assim, Alisa Rudnitskaya garante que a língua electrónica que inventou “pode ser aplicada para a análise dos alimentos líquidos como as águas naturais e residuais, as soluções industriais”. A nova tecnologia “pode também efectuar uma análise quantitativa, isto é, determinar concentrações de compostos, classificar amostras consoante a sua qualidade, origem, idade (no caso dos vinhos), tratamento aplicado, etc., e também avaliar características de sabor”.



“Dependendo da modificação da língua electrónica e do tipo de análise, o instrumento pode ser usado nos laboratórios de investigação e de controlo de qualidade e nos sítios de produção”, acrescenta.

Da Rússia com ‘paladar’

A língua eletrónica com base nos sensores potenciómetricos começou a ser desenvolvida no grupo dos Sensores Químicos do Departamento de Química da Universidade de São Petersburgo, na Rússia, com a tese de doutoramento de Alisa Rudnitskaya. A partir de 2007, a investigadora continuou a desenvolver o projecto na Universidade de Aveiro, primeiro como bolseira de pós-doutoramento e actualmente como investigadora do CESAM.

A ideia de criar esta ferramenta “baseou-se em princípios de organização de órgãos de olfacto e de sabor humanos”, diz Alisa Rudnitskaya. “O olfacto humano consiste num número elevado de receptores e processamento dos seus sinais no sistema nervoso. Embora cada receptor tenha a selectividade e sensibilidade baixas, em conjunto permitem distinguir milhares dos odores. O mesmo princípio foi aplicado no desenvolvimento do nariz e língua electrónicos que se usam para a análise de gases e líquidos, respectivamente”, explica.

Os próximos passos na investigação serão o “desenvolvimento de materiais novos (nanomateriais, substâncias biológicas e materiais biomiméticos) para serem usados em sensores e aplicações novas” da língua electrónica.



CiênciaHoje
Voltar ao Topo Ir em baixo
heinen
Administrador
Administrador


Masculino Mensagens : 346
Data de inscrição : 01/04/2012
Localização : RJ

MensagemAssunto: Re: Língua eletrónica permite análises aos alimentos.   Seg Abr 09, 2012 12:52 pm

Caramba bem interessante... fico a imaginar no futuro quando provavelmente vamos poder "experimentar" o cheiro e o sabor de produtos a distância...vai ser maneiro, ehhehe
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.fabioheinen.com.br
 
Língua eletrónica permite análises aos alimentos.
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Recanto dos Curiosos :: Noticias e Curiosidades :: Curiosidades Pelo Mundo-
Ir para: